SIMPLES COMO O TEMPO
Letras que se espalham com os ventos por todos os cantos do mundo
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato
Textos


"Desde as primeiras civilizações, notadamente as que tinham sociedades iniciáticas, o silêncio é um importante elemento cultural, imposto drasticamente para salvaguardar seus segredos. 
Em quase todas, é representado por uma criança com o dedo sobre os lábios.
Constitui-se uma exceção, o antigo Egito, onde existia um "Deus" do silêncio, chamado Harpócrates, com a mesma posição já descrita.
Entre os magos e sacerdotes egípcios, os iniciados assumiam um estado de silêncio total, a fim de se manterem os segredos e incitá-los à meditação, regra que seria adotada por todas as sociedades iniciáticas posteriormente.
Buda, em 500 a. C., também valorizava o silêncio como condição para a contemplação.
Os Essênios tinham como principais símbolos um triângulo contendo uma orelha e outro contendo um olho, significando que a tudo viam e ouviam, mas não podiam falar, por não terem boca.
Dentre os mistérios gregos, encontramos o de Orfeu, que com a magia de seu canto e de sua música executada numa lira, silenciava a natureza e a tudo magnetizava.
Eurípides, no verso 470 de sua obra " Os Bacantes" diz que verdadeiros são os mistérios submetidos à lei do segredo. A palavra mistério deriva de "myein" que significa "boca fechada".
Pitágoras criou a escola Itálica e seus discípulos se distinguiam em 3 graus, sendo o 1º o "acústico", assim chamado porque era destinado aos aprendizes que só deviam ouvir e abster-se de manifestação.
Para os Talhadores de Pedras, o segredo e o silêncio sobre sua arte era uma questão de sobrevivência, constituindo-se inclusive num salvo-conduto.
Os monges da Ordem de Císter tinham como uma de suas principais regras o silêncio para a reflexão.
A G:. L:. U:. da Inglaterra adotou, após sua unificação, a legenda "AUDI, VIDE, TACE", ou seja, "Ouça, Veja, Cale".
Como pudemos perceber, temos inúmeros exemplos da importância do silêncio ao longo da história.
 

 
                 “MENSAGEM DE SILÊNCIO
  O verbo
nasce no centro do universo.
A mensagem
flutua na oração do mestre...
 
 Retidão espiritual,
 segredo e  silêncio.
Perfil de um novo século
e outros ofícios.
Aprendizes...eternos e capazes.
 
A noite invade nossas paixões,
as incertezas
alteram a imaginação.
Nem sempre os filhos são iguais...
O aprendiz é imerso em seu próprio silêncio.
A iniciática
é a gramática
do valor das sessões...
 
Irmãos,
 já não será a hora
de vencer de vez nossas paixões?
Retirar com nossas próprias mãos
a ira e a bravura do coração?
Escutar a mensagem da luz
saborear a estrela cadente
subir com mais humildade
as escadas do oriente?
 
O pensamento
 a revolução da sabedoria
a força da união dos homens
a música, o tempo e a astronomia.
A energia é nossa vida
a poesia é o alimento,
a alquimia,
 a mensagem e a sintonia,
são exemplos de um mestre,
seu grito
e a evolução.
 
É tempo de transformação!
 
O silêncio
compreende e cresce
desafia o vento e a sabedoria
reconhece o medo e o temor
enaltece a verdade
e avança confiante ao plano superior.
  
WILDON- 20/11/2013
 

 
WILDON LOPES
Enviado por WILDON LOPES em 14/05/2016

Música: Donde corre la sangre - Shalim

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ("você deve citar a autoria de AVIENLYW e o site www.wildon.com.br"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários