SIMPLES COMO O TEMPO
Letras que se espalham com os ventos por todos os cantos do mundo
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato
Textos


MARINHEIRO ERRANTE


Quando barcos navegam
por horizontes longínquos
rotas longas,
à procura de novas terras...
transponho-me a outros mares!
A minha razão vaga à mercê das ondas,
Enclausurada,
nessa barcaça imunda.

Haverão de existir
outros mares errantes,
outros olhos náufragos,
onde minha alma se afunda
e procura incessantemente – tua alma!

Buscarei outras terras, outros mares.
Novas cidades, outros olhares...
Por onde eu possa passear,
em ondas
abertas, geladas e calmas.

A vida renova
a cada manhã,
e o mundo inteiro
peregrina por este caminho
na primeira hora marinha.
Abraço seu reflexo na solidão do mar!
Mas até quando meu coração me leva?

Aonde quer que meu barco aporte,
em qualquer lado do oceano,
além daqueles horizontes onde minhas vistas enxergam.
Minh’alma navega solitária e triste!
Eu sempre sofro ao mirar a grandeza
dos oceanos desconhecidos,
pelas ambições das almas naufragadas,
pelo desafio das águas
em que minh’alma cavalga.

Se ao acaso
avisto uma ilha,
não disperso o sonho
de te encontrar, oh! Minha amada,
em minha próxima parada.

AVIENLYW -(04/07/1979)

WILDON LOPES
Enviado por WILDON LOPES em 18/06/2006
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ("você deve citar a autoria de AVIENLYW e o site www.wildon.com.br"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários